O blog foi criado para pessoas que gostam de atualizar-se.

domingo, 14 de setembro de 2008

ADIVINHAÇÕES

- O que é que dá um pulo e se veste de noiva?

R: Pipoca

- Qual é o queijo que mas sofre?
R: O Queijo ralado.

- Por que o boi baba?
R: Porque ele não sabe cuspir!!

- O que é, o que é? Anda deitado e dorme em pé?
R: O Pé

- Quem inventou a fila?
R: As formigas

- O que é que cai de pé e corre deitado?
R: As gotas da chuva

- O que é o que é, tem chapéu, mas não tem cabeça, tem boca mas não fala, tem asa mas não voa?
R: Bule

- Um pato vai subindo uma ladeira e põe um ovo. O ovo desce ou sobe?
R: O pato não põe ovo, quem põe ovo é a pata!

- O que é, o que é? Que é meu, mas meus amigos usam mais do que eu?
R: O meu nome

- O que é o que é? Estou no início da rua, no fim do mar e no meio da cara?
R: A letra " r"

- O que é o que é? O que a areia da praia falou para o mar?
R: Deixa de onda...

- O que é o que é? O que são vários pontinhos amarelos na parede?
R: Fandangos alpinistas

- O que é o que é? De leite é feito, muito bom e nutritivoSe nome rima com beijo.
R: Queijo

- O que é o que é? Todas as mães têm.Sem ele não tem pão.Some no inverno. Aparece no verão.
R: O til~

- O que é o que é? Se você mudar uma letra em meu nome. Irá aparecer o nome do animal que é meu maior inimigo.
R: Rato

- O que é o que é? Em um aquário tem 10 peixes, 5 morreram afogados.Quantos sobraram?
R: Peixe não morre afogado

- O que é o que é? Que fica cheio de boca para baixo e vazio de boca para cima?
R: O Chapéu

- O que é que corre pela casa toda e depois dorme num canto?
R: A vassoura

- O que é que quanto mais se perde, mais se tem?
R: O Sono

- O que é o que é? Qual o sobrenome que todo mundo tem?
R: Costa

- O que é que faz virar a cabeça de um homem?
R: O Pescoço

- O que é que corre em volta do pasto inteiro sem se mexer?
R: A Cerca.

- O que é que pode ser de ferro, de gelo, de chocolate e de água ao mesmo tempo?
R: Barra.

- O que é o que é? Quais as capitais brasileiras mais faladas no mês de dezembro?
R: Natal, Belém e Salvador.

- O que é que pode passar diante do sol sem fazer sombra?
R: O Vento.

- O que é o que é? O que o zero disse para o oito?
R: Que cinto maneiro!!!

- O que é o que é? Quatro pés, em cima de quatro pés, esperando quatro pés chegar. Quatro pés não veio, quatro pés foi embora, quatro pés ficou. O que é o que é?
R: O gato em cima da mesa esperando o rato chegar, o rato não veio, o gato foi embora e a mesa ficou.

- O que é que a zebra disse para a mosca?
R: Você está na minha lista negra

- O que é que o nadador faz para bater o recorde?
R: Nada.

- O que é o que é? Com dez patas vai de lado, constelação tem seu nome, não tem pescoço e é caçado porque é gostoso e se come.
R: Caranguejo.

- O que é o que é? Você está em uma sala escura com um único fósforo na mão,à sua frente tem uma vela,uma lamparina e uma pilha de lenha o que você acenderia primeiro?
R: O fósforo

- O que é o que é? Subindo o sol vai se encurtando, descendo o sol vai se alongando?
R: A Sombra

- O que é o que é? Tem coroa, mas não é rei, tem raiz, mas não é planta?
R: O Dente

- O que é, o que é: De dia fica no céu e à noite fica na água?
R: A dentadura

- O que é responda depressa, tem pomar no seu paletó?
R: Manga

- O que é o que é: é verde e não é planta, fala e não é gente?
R: Papagaio

- O que é o que é uma caixinha de bom parecer, não há carpinteiro que saiba fazer?
R: A Noz

- O que é que está no meio do ovo?
R: A Letra V.

- O que é, o que é? É verde e não é capim.É branco e não é algodão. É vermelho e não é sangue. É preto e não é carvão.
R: Melância

- O que é, o que é? Que não se come,mas é bom para se comer?
R: Talher

- O que é, o que é? Que mesmo atravessandoo rio consegue não se molhar?
R: A Ponte

- O que é, o que é o castelo que nem um rei ou rainha mora?
R: O castelo de areia

- O que é o que é? Por que o louco toma banho com o chuveiro desligado?
R: Porque comprou xampu para cabelos secos

- O que é o que é: Destrói tudo com três letras?
R: Fim

- O que é o que é: Não tem olhos, mas pisca; não tem boca, mas comanda?
R: O semáforo

- O que é, o que é? Tem coroa mas não é rei, tem espinho mas não é peixe?
R: Abacaxi

- O que é, uma casinha sem tranca e sem janela?
R: Ovo

- O que é o que é? Como a bruxa sai na chuva?
R: De rodo

- O que é o que é: Quanto mais eu tiro mais eu tenho?
R: Fotografias

- O que é o que é? Quem é o rei da horta?
R: O Rei Polho.

- O que é o que é? Por que o Batman colocou o batmóvel no seguro?
R: Porque ele tem medo que robin.

- O que é o que é? Qual é o fim da picada?
R: Quando o pernilongo vai embora.

- O que é, o que é: cintura fina e perna alongada, toca corneta e leva bofetada?
R: O pernilongo.

- O que é o que é: Tem 5 dedos, mas não tem unha?
R : A luva

- O que é o que é:Que quanto mais cresce menos se vê?
R : A escuridão

- O que é o que é? Quem morre em pé?
R : A vela

- O que é o que é? Tem cabeça e não é gente, tem dente e não é pente?
R : Alho

- O que é o que é? O que é que anda com a barriga para trás?
R : A perna da gente.

- O que é o que é? Por que é difícil enterrar o elefante?
R : Porque os parentes lotam o cemitério.

- O que é o que é? Duas pulgas decidiram passear. O que uma perguntou a outra?
R : Vamos a pé ou tomamos um cachorro.

- O que é o que é? Onde é que o boi consegue passar, mas o mosquito fica preso?
R : Na teia de aranha.

- O que é o que é? Quando é que um tigre se parece com um velho?
R : Quando é um tigre de bengala.

- O que é que nasce grande e morre pequeno?
R: O lápis.

- Por que a plantinha não fala?
R: Porque ela é mudinha!

- O que é o que é? O batman pegou seu bat-sapato e seu bat-blazer. Onde ele foi?
R: No bat-zado!

- O que a galinha foi fazer na igreja?
R: Assistir a Missa do Galo!

- O que o advogado do frango foi fazer na delegacia?
R: Foi soltar a franga!

- O que é o que é? Qual o lugar em que todos podem sentar menos você?
R: O seu colo.

- O que é o que é? O que é que anda com os pé na cabeça?
R : O piolho!

- O que é o que é? O que a fechadura disse pra chave?
R : Vamos dar uma voltinha?

- O que é o que é? Dois vizinhos. Um não vai a casa do outro e os dois não se vêem por causa de um morrinho ? Quem são eles ???
R : Os olhos

- O que é o que é? O que entra na água e não se molha?
R : A sombra

- O que é o que é? O que mais se tira mas aumenta?
R: O buraco.

- O que é, o que é? Qual o céu que não possui estrelas?
R: O céu da boca
http://www.soubarato.com.br/cartao-soubarato?chave=cartaodestaq

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

HISTÓRIAS INFANTIS:

O BARQUINHO DE PAPEL
1. Era uma vez um barquinho de papel. Ele era todo pintado da cor laranja. Estava navegando na água, num dia de sol.






2. Aí veio uma borboleta cor-de-rosa e disse:
“Que barquinho lindo”. E foi embora.


3. O barquinho, todo orgulhoso, continuava navegando na água. Mas começou a chover.

4. E a água da chuva desbotou a cor do barquinho. E ele começou a afundar.


5. Mas a borboleta voltou, e com suas asas tirou o barquinho da água antes que ele afundasse todo.
6. Então o sol secou o barquinho, mas ele ficou feio e desbotado.
7. A borboleta voou até perto do arco-íris e fez um pedido a ele. E o arco-íris veio colorir o barquinho.


8. E assim o barquinho ficou outra vez pintado, só que desta vez de vermelho. Ele ficou muito feliz e agradeceu a borboleta, pois ela foi muito gentil.



BOLHAS DE SABÃO (incentivo ao sopro)





1. Hoje faz calor.
As crianças brincam com água.
Elas fazem bolhas de sabão.
2. Mateus faz uma bolha pequena
Fernanda faz uma bolha média.
Bruna faz uma bolha grande.
Elas vão com o vento.
3. Aline faz uma bolha que fica presa no canudinho.
Como é linda a bolha de sabão! Ela tem brilho, ela se mexe.
Puxa! Tem arco-íris dentro!
Aline diz: Ah, que vontade de guardar as bolhas de sabão! E começa a pensar.
4. Vou pegar as bolhas pequenas para fazer colar e brincos.
5. As bolhas médias eu vou enfeitar as rodas da minha bicicleta.
6. As bolhas maiores, vou enfeitar a árvore de Natal! Que lindo!
Uma arvore de Natal cheia de bolhas de sabão.




7. Mas eu quero mesmo uma bolha bem grande, enorme, uma bolha imensa. Do tamanho de um avião.
8. Aí, eu entro dentro da bolha, me sento no arco-íris voando no céu.
9. Olha a cidade lá embaixo! A casas, o mercado, o parque....
Onde é que está a minha casa?
10. Olha ela lá! Bem grande, bem colorida.
11. Mãe! Olha eu aqui... Dentro da bolha de sabão.






















sábado, 6 de setembro de 2008

BRINCADEIRAS INFANTIS


Escolha a mão 

Objetivo: simples jogo de sorte e azar, mas no qual uma criança pode induzir a outra a errar. 

Grau de Dificuldade: Simples
N.º de crianças: apenas 2 crianças por vez. Se houver 3, uma espera e 2 jogam. Se houver 4, formam-se 2 pares e assim sucessivamente.
N.º de adultos: neste jogo não há necessidade de adultos. É preciso apenas explicar o jogo às crianças. 

Requisitos: para cada par de crianças, existe a necessidade de um objeto de tamanho pequeno(um clipes, uma borracha, uma pedrinha, uma bolinha de gude, um imã de geladeira, uma moeda,etc)


Regras/Funcionamento:

A 1ª criança pega o objeto e sem que a 2ª criança veja, escolhe uma das mãos para “armazenálo”.
Depois fecha as 2 mãos, estica os 2 braços (um sobre o outro formando um X) e mostrando-ospara a 2ª criança.
Desta forma a 2ª criança não sabe em que mão está o objeto escondido.
Esta 2ª criança terá de escolher uma das mãos (esquerda ou direita) dando um suave “tapinha” nas mãos da 1ª criança e terá 50% de chance de acertar e 50% de chance de errar.
Após a 2ª criança dar este “tapinha”, a 1ª criança poderá abrir a mão e mostrar se a outra acertou ou errou. Mas poderá ainda “questionar” a 2ª criança falando assim: “Você tem certeza????”
gerando assim dúvida na 2ª criança e levando-a ao erro.
Quando a 2ª criança realmente definir a escolha da mão, a 1ª criança abre as 2 mãos e verifica-se se houve erro ou acerto.
Se houve acerto, a 2ª criança passa a esconder o objeto. Se houve erro, a 1ª criança volta a
esconder o objeto um uma das mãos e o processo se repete indefinidamente até que a 2ª criança acerte a mão.
Se houver mais de duas crianças, estipula-se um n.º de rodadas até que uma delas seja substituída por aquela que estava esperando.
Como este jogo é um passatempo não existem propriamente “vencedores”.


Caí-no-Poço (beijo-abraço-aperto-de-mão) 

Meninos e meninas escolhem em separado uma fruta, escondido de quem foi escolhido para cair no poço. Ele terá de adivinhar a fruta no final. O menino que caiu no poço começa a brincadeira, e uma menina responde, assim:Menino: - Ai ! Ai !Menina: - O que foi ?Menino: - Caí no poço.Menina: - A água bateu onde ?
Menino: - Pelo pescoço.Menina: - O que se tira disso ?Menino: - Um aperto de mão e um beijo (ou qualquer coisa que ele escolher).Menina: - Qual é a fruta ?Aí, quem "caiu no poço" responde. Se ele acertar a fruta, ganha da menina o que ele tinha pedido. Se não, sai da brincadeira, e outro menino entra no seu lugar. 
Palitinho 
Descrição/Objetivo: fazer com que as crianças tentem dimensionar a quantidade de palitinhos escondidos nas mãos dos participantes. Ajuda a criança a aprender noções básicas de probabilidades. 
Grau de Dificuldade: simplesN.º de crianças: mínimo 2 (ideal: até 4 crianças)N.º de adultos: neste jogo não há necessidade de adultos. É preciso apenas explicar o jogo às crianças. 
Requisitos: apenas pequenos palitinhos que possam ser escondidos em uma mão fechada (sendo 3 palitinhos por criança) 
Regras/Funcionamento:· As crianças que vão jogar devem sentar-se formando uma “roda” de modo que fique claro a ordem de participação de cada uma delas. Desta forma, se houver 3 crianças, todas devem saber a sua “posição”: criança 1, criança 2, criança 3 (a numeração deve obedecer o sentido anti-horário)· Sem que as outras percebem, cada criança “esconde” em sua mão direita uma quantidade de palitinhos (nenhum, um, dois ou três).· Depois, cada uma delas estende o braço direito para o centro da “roda” (ainda com a mão direita fechada)· A partir da criança 1 e seguindo o sentido anti-horário, cada uma delas falará em voz alta uma estimativa da SOMA de palitinhos que estão nas mãos de todas as 3 crianças.· Desta forma, no começo de cada turno, existem 10 opções de soma: (o número pode variar de zero - no caso em que nenhuma criança escondeu palitinhos em suas mãos, até 9 palitinhos – no caso de todas elas terem colocado 3 palitinhos).· Depois de a criança 1 ter falado a sua estimativa, a criança 2 falará a sua estimativa e a por fim a criança 3.· Importante: cada estimativa deve ser diferente da estimativa anterior (não pode haverrepetição)· As crianças vão aprendendo noções de probabilidades (é muito mais provável que a SOMA inicial seja 4 ou 5 que zero ou 9)· Após cada uma das crianças ter feito sua estimativa, todas elas abrem a sua mão direita e apura-se a SOMA. 
Mamãe-posso-ir? 
Primeiro trace duas linhas no chão, com uns 8m de distânciaentre elas. Alguém é escolhido para ser a mamãe e fica numa das linhas, de costas para os jogadores. Os outros ficam na outra linha, um do lado do outros.Um por um, os jogadores tentam chegar à mamãe,perguntando "mamãe posso ir?".A mamãe, que está de costas, responde dando ordens que o jogador tem que seguir. Alguém tem de ser o juiz, para ver se as ordens vão ser cumpridas direito.Se ela mandar dar passos de formiguinha, o jogador dá passos bem pequenos. Passos de canguru são pulinhos. Se ela disser dar passos de cachorro o jogador tem de andar de quatro. A mamãe pode mandar anda pra frente ou para trás, quantospassos ela quiser.Os jogadores também podem combinar outros tipos de passos.Ganha quem chegar primeiro até a mamãe. 
Esconde Objeto 
Descrição/Objetivo: simples jogo de diversão que mede em parte a capacidade de observação a detalhes mas em que há bastante sorte envolvida. 
Grau de Dificuldade: SimplesN.º de crianças: no mínimo 3 (ideal: de 4 a 6)N.º de adultos: neste jogo não há necessidade de adultos. É preciso apenas explicar o jogo às crianças. 
Requisitos: existe a necessidade de uma sala razoavelmente ampla com vários lugares onde se possa esconder um objeto de tamanho relativamente pequeno mas não minúsculo (caixa de fósforo, uma chave, brinquedo, etc)
Importante: o objeto não pode trazer perigo as crianças, pois as crianças irão “revirar” a sala em busca do objeto escondido. 
Regras/Funcionamento:Uma das crianças é escolhida para esconder o objeto na sala. As demais saem e ficam esperando.
A criança que ficou na sala deverá esconder o objeto mas não deverá colocá-lo num lugar que seja “impossível” de descobrir tais como o bolso do seu próprio calção, dentro de gavetas cheias de revistas, etc).
Quando o objeto for bem escondido, as crianças que estavam aguardando são convidadas a entrar na sala e devem buscar pelo objeto.
Quem escondeu o objeto poderá dar dicas afirmando qual criança está “quente” (perto do objeto escondido) e qual criança está “fria” (longe do objeto escondido).
Quando o objeto for achado, a rodada termina e atribui-se 1 ponto para quem o encontrou.
Esta mesma criança irá esconder o objeto na próxima rodada.
Sucedem-se de 5 a 10 rodadas e declara-se vencedora a criança que tiver mais pontos.

Esconde-esconde (piques, pique-esconde, 31 alerta)

Escolha um lugar para ser o pique e quem vai ficar nele. O jogador escolhido fica de costas e de olhos fechados no pique, contando até o número combinado.
Enquanto isso, o resto do grupo tem de se esconder. Quando termina de contar, o jogador vai procurar os companheiros.
Quem está escondido tem de correr até o pique para se salvar.
Quando escontra alguém, o jogador que está procurando tem de voltar ao pique e dizer onde é que viu o companheiro.
Se o jogador encontrado chegar ao pique antes do perseguidor, ele se salva.
O primeiro que for pego é o perseguidor na próxima jogada. Se todo mundo for salvo, a brincadeira continua com o mesmo perseguidor.
A criança que ficou na sala deverá esconder o objeto mas não deverá colocá-lo num lugar que seja “impossível” de descobrir tais como o bolso do seu próprio calção, dentro de gavetas cheias de revistas, etc).Quando o objeto for bem escondido, as crianças que estavam aguardando são convidadas a entrar na sala e devem buscar pelo objeto.Quem escondeu o objeto poderá dar dicas afirmando qual criança está “quente” (perto do objeto escondido) e qual criança está “fria” (longe do objeto escondido).Quando o objeto for achado, a rodada termina e atribui-se 1 ponto para quem o encontrou.Esta mesma criança irá esconder o objeto na próxima rodada.Sucedem-se de 5 a 10 rodadas e declara-se vencedora a criança que tiver mais pontos. 
Esconde-esconde (piques, pique-esconde, 31 alerta) 
Escolha um lugar para ser o pique e quem vai ficar nele. O jogador escolhido fica de costas e de olhos fechados no pique, contando até o número combinado.Enquanto isso, o resto do grupo tem de se esconder. Quando termina de contar, o jogador vai procurar os companheiros.Quem está escondido tem de correr até o pique para se salvar.Quando escontra alguém, o jogador que está procurando tem de voltar ao pique e dizer onde é que viu o companheiro.Se o jogador encontrado chegar ao pique antes do perseguidor, ele se salva.O primeiro que for pego é o perseguidor na próxima jogada. Se todo mundo for salvo, a brincadeira continua com o mesmo perseguidor. 

Boca-de-Forno 

Escolha antes quem vai ser o mestre. Ele é quem começa a brincadeira, dizendo frases que todo mundo tem de responder, assim:- Boca de forno ?- Forno.- Tirando bolo ?- Bolo !- Maracujá ?- Já !- Seu rei mandou perguntar !- O quê ?- Se fazem tudo o que ele mandar ?- Tudo !- E quem não fizer ?- Ganha bolo !- Seu rei mandou dizer para ...E aí, vem a ordem, que todo mundo tem de cumprir. Normalmente, o mestre pede para buscar alguma coisa, como uma flor ou uma pedra. O primeiro que trouxer fica livre, o resto toma bolo. Exemplo:Tem bolo frio (tarefas), morno (beijos), quente (abraços), de passarinho (imitar), de pai (cantar) e de mãe (dançar). Quem escolhe que bolo cada um vai tomar é o ganhador, que vira mestre na próxima jogada. 

Batatinha Frita 
Um Participante deverá ficar de costas para o grupo junto a uma paredeOs outros ficam lado a lado e vão andando a medida em que o participante de costas conta: “batatinha frita um, dois, três” e ao virar-se rapidamente quem for visto se movimentando volta para o começo. Ganha o participante que chegar primeiro ao lugar do contador.
Corrida de Sapatos 

Formam-se duas equipes, que são dispostas em fileira. Uma cadeira ou bandeirinha separa um time do outro. Os jogadores tiram os sapatos, que são recolhidos, embaralhados e enfileirados a uma distância de uns dez metros.Dá-se o sinal de início, e os jogadores devem sair pulando com o pé esquerdo, até encontrarem seus dois pés de sapato, calçando-os seguida. Feito isso, voltam ao ponto de partida, pulando com o pé direito. Os jogadores que calçarem sapatos trocados, ou não o calçarem direito, tem que calçar direito. Cada jogador que retornar à linha de partida, e não for desclassificado, marcará um ponto para a equipe. Ganhará a equipe que marcar o maior número de pontos. 

Corrida de Três Pés 

Nessa brincadeira, cada jogador deverá amarrar a sua perna direita à perna esquerda de seu parceiro. Ambos terão que correr assim até a linha de chegada.
 

Guerra de Bolas
 


Divide-se a turma em duas equipes, cada equipe irá ocupar uma metade da quadra. Cada aluno terá nas mãos uma bola de papel, ao sinal começarão a lançar as bolas de papel na quadra adversária, juntando as que estão na sua quadra enviando novamente para o outro lado. Terminado o tempo, o professor dará um sinal e os alunos, ficarão posicionados na linha de fundo da sua quadra, esperando que o professor conte quantas bolas tem m cada quadra. Ganhará a equipe que tiver menos bolas em sua quadra.
 

Corrida com a bola
 

A turma é dividida em duas equipes, que formarão uma fileira, e diante de cada fileira ficará um cesto ou um recipiente qualquer para que as bolas sejam colocadas, na distância especificada pelo professor. Cada equipe recebe um número de bolas também designadas pelo professor. Se esse número for maior que a quantidade de criança, a criança após participar da brincadeira corre retornando para o final da sua fila. A primeira criança de cada fileira terá uma bola nas mãos e, ao sinal do professor, deverá correndo, levar a bola até o seu cesto correspondente. Ganha o grupo que terminar primeiro.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Parlenda, Trava-línguas


Uso do trava-línguas e parlenda na escola

Parlenda vem de parlar s. f., parlenga; palavreado; arenga; tagarelice. É uma reunião de palavras com pouco ou nenhum objetivo e importância. É um palavreado bom de se ler, falar e ouvir. É chamada de trava-línguas, quando é repetida de forma rápida ou várias vezes seguidas, provocando um problema de dicção ou paralisia da língua, que diverte os ouvintes.
Trava-línguas - pede-se a alguém que repita uma parlenda, em prosa ou verso, de forma rápida - ''fale bem depressa '' - ''diga correndo" - ou que a repita várias vezes seguidas

Os trava-línguas fazem parte das manifestações orais da cultura popular, são elementos do nosso folclore, como as lendas, os acalantos, as parlendas, as adivinhas e os contos. O que faz as crianças repeti-los é o desafio de reproduzi-los sem errar. Entra aqui também a questão do ritmo, pois elas começam a perceber que, quanto mais rápido tentam dizer, maior é a chance de não concluir o trava-línguas. Esse tipo de poema pode ser um bom recurso para trabalhar a leitura oral, com o cuidado de não expor alunos com mais dificuldades.

Fontes:

-O livro do trava-língua, Cecília Alves Pinto / Dicionário do folclore brasileiro, Luís da Câmara Cascudo, Global Editora / Enrola-bola - brinquedos, brincadeiras e canções, Francisco Marques e Rubinho Vale / Um tigre, dois tigres, três tigres, Neusa P.Caccese / Quem canta seus males espanta, Theodora Ma. M. Almeida(coord.) - Ed. Caramelo / http://jangadabrasil.com.br/index.htm

-Regina Helena Pranke da Silva, especialista em Educação pré-escolar e professora alfabetizadora do Colégio Israelita Brasileiro, em Porto Alegre, in Revista Nova Escola.


PARLENDAS E TRAVA-LÍNGUAS

LUA

Lá vem a lua nascendo
Redonda que nem caroço
Quero que você me diga
se caranguejo tem pescoço.


Meio dia 

Meio dia,
Panela no fogo,
Barriga vazia.
Macaco torrado,
Que vem da Bahia,
Fazendo careta,
Pra dona Sofia.


BISCOITO

Fui na lata de biscoito
Tirei 1, tirei 2
tirei 3, tirei 4
tirei 5, tirei 6
tirei 7, tirei 8
tirei 9, tirei 10

TOICINHO

Cadê o toicinho daqui?
O gato comeu
Cadê o gato?
Foi pro mato.
Cadê o mato?
O fogo queimou.
Cadê o fogo?
A água apagou.
Cadê a água?
O boi bebeu.
Cadê o boi?
Foi amassar trigo.
Cadê o trigo?
A galinha espalhou.
Cadê a galinha?
Foi botar ovo.
Cadê o ovo?
O padre bebeu.
Cadê o padre?
Foi rezar a missa.
Cadê a missa?
Já se acabou!



Jacaré foi a feira,
não sabia o que comprar…
Comprou uma cadeira,
para comadre se sentar…
A comadre se sentou
A cadeira se quebrou…
Jacaré chorou, chorou,
O dinheiro que gastou….


"O rei de Roma rumo a Madri. "
"O rato roeu o rabo da raposa."
"Rosa vai dizer à Rita que o rato roeu a roupa da rainha."
"O rato roer roía e, a Rosa Rita Ramalho, do rato a roer se ria!"
"O rato roeu a rolha da garrafa da rainha."
"Pia o pinto, a pia pinga.”
“O pinto pia, a pia pinga. Quanto mais o pinto pia, mais a pia pinga”.
"A pia perto do pinto, o pinto perto da pia, tanto mais a pia pinga, mais o pinto pia."
" A pia pinga, o pinto pia, pinga a pia, pia o pinto, o pinto perto da pia, a pia perto do pinto."
"Atrás da pia tem um prato, um pinto e um gato. Pinga a pia, apara o prato, pia o pinto e mia o gato".
"A espingarda destravíncula-pinculá. Quem destravíncula ela, bom destravíncula-pinculador será. "
"Tem uma tatu-peba, com sete tatu-pebinha. Quem destatupebá ela, bom destatupebador será. "
"No cume daquele morro, tem uma cobra enrodilhada. Quem a cobra desenrodilhá, bom desenrodilhadô será."
“No morro chato, tem uma moça chata, com um tacho chato,no chato da cabeça. Moça chata, esse tacho chato é seu?”
“Um ninho de carrapatos, cheio de carrapatinhos, qual o bom carrapateador, que o descarrapateará?”
"Um ninho de mafagafos, com sete mafagafinhos. Quem os desmafagafizer, bom desmafagafizador será."
"Um ninho de mafagafa, com sete mafaguifinhos. Quem desmafagaguifá ela, bom desmafagaguifador será. "
"O Papa papa o papo do pato"
"A batina do padre Pedro é preta."
"O peito do pé de Pedro é preto."
"É preto o peito do pato preto."
"O Pedro pregou um prego na pedra."
"Pedro pregou um prego na porta preta."
"O padre Pedro tem um prato de prata."
"O padre pouca capa tem, pouca capa compra."
"O peito do pé do pai do padre Pedro é preto."
"O padre Pedro deu uma topada na pedra preta."
"Paulo Pereira Pinto Peixoto, pobre pintor português, pinta perfeitamente, portas, paredes e pias, por pouco preço, patrão."

A vaca amarela ...(É um desafio para todos ficarem calados)

1- Vaca amarela, sujou na panela. O primeiro que falar, come tudo dela.
2-Vaca amarela, pulou a janela. Quem falar primeiro, corre atrás dela.
3- Era uma vez, uma vaca amarela. Pulou a janela, sujou na panela.Três comiam, três mexiam. A primeira que falar, come tudo dela.
4- Vaca amarela, pulou a janela. Mexeu mexeu. Quem falar primeiro, come tudo dela. Fora eu, que sou o rei dela.

- O Papagaio come milho.
periquito leva a fama.
Cantam uns e choram outros
Triste sina de quem ama.
-Um, dois, feijão com arroz,
Três, quatro, feijão no prato,
Cinco, seis, falar inglês,
Sete, oito, comer biscoito,
Nove, dez, comer pastéis.

-Eu sou pequena,
Da perna grossa,
Vestido curto,
Papai não gosta.

-Por de trás daquele morro,
Passa boi, passa boiada,
Também passa moreninha,
De cabelo cacheado.

-Era uma bruxa
À meia-noite
Em um castelo mal-assombrado
com uma faca na mão
Passando manteiga no pão.

-A sempre-viva quando nasce,
toma conta do jardim
Eu também quero arranjar
Quem tome conta de mim

- Batatinha quando nasce,
Se esparrama pelo chão,
Mamãezinha quando dorme,
Põe a mão no coração.

Os dedos
Dedo mindinho,
Seu vizinho,
Pai de todos,
Fura bolo,
Mata piolho..


- Enganei um bobo
Na casca do ovo!

- Zé Capilé!
Tira bicho do pé
Pra tomar com café!

- Lá vai uma
Lá vai duas,
Lá vai três,
Três pombinhas a voar,
Uma é minha outra é sua
Outra é de quem pegar.

- Coco pelado
Caiu no melado
Quebrou uma perna
Ficou aleijado

-Uni, duni,tê Uni, duni, tê,
Salamê, mingüê,
Um sorvete colorê,
O escolhido foi você!

- O cochicho
Quem cochicha,
O rabo espicha,
Come pão
Com lagartixa.

- Rei Capitão
Rei, capitão, Soldado, ladrão.
Moça bonita
Do meu coração.


- Fui à feira
Fui à feira comprar uva.
Encontrei uma coruja,
Pisei no rabo dela.
Ela me chamou de cara suja.



- Sol e chuva, casamento de viúva.
Chuva e sol, casamentode espanhol.


- Papagaio louro

Papagaio louro
Do bico dourado
Leva essa cartinha
Pro meu namorado
Se tiver dormindo
Bate na porta
Se tiver acordado
Deixe o recado.


- Perna de pato

Entrou pela perna do pato,
Saiu pela perna do pinto.
O rei mandou dizer
Que quem quiser
Que conte cinco: Um, dois, três, quatro, cinco


-Salada, saladinha
Bem temperadinha
Com sal, pimenta
Um, dois, três.


-Quem é?
É o padeiro
E o que quer?
Dinheiro
Pode entrar que eu vou buscar
O seu dinheiro
Lá embaixo do travesseiro

-Pedrinha
Pisei na pedrinha,
A pedrinha rolou
Pisquei pro mocinho,
Mocinho gostou
Contei pra mamãe
Mamãe nem ligou
Contei pro papai,
Ele conversou.



Numa tarde ensolarada de domingo
Minha sandália pisou num “cocozinho”
Fiquei toda nervosa
Por ter amassado o coitadinho.








- Passei na pinguelinha
Chinelinho caiu do pé
Os peixinhos reclamaram
Que cheirinho de chulé.

- Carrapato Vai t’embora
Sai de cima do telhado
Deixa (nome da criança) dormir
O seu soninho sossegado.
- O meu nome é José Doce
Sobrenome é melado
Quando chego perto das moças
Fico todo açucarado.


- Andorinha de verão
Leva esse dente podre
E me traz um são.

- Mourão, mourão
Toma esse dente podre
E traz um são.

- Trinta dias tem setembro
Como abril, junho e novembro
De vinte oito só há um.
E os demais são trinta e um.


- A casinha da vovó
Amarrada com cipó
O café tá demorando
Com certeza não tem pó.

- Corre,Cutia
Corre, Cutia,
Na casa da Tia
Corre Cipó
Na casa da Avó
Lencinho na mão
caiu no chão
Moça bonita
Do meu coração.
Um,dois, três.

- Meu galinho quando dorme
Fica numa perna só
De manhã sacode as asas
Faz assim coró co có.


- Hoje é domingo
Pé de cachimbo
Cachimbo é de ouro
Bate no touro
Touro é valente
Bate na gente
A gente é fraco/a
Cai no buraco
Buraco é fundo
Acabou-se o mundo.


- Seu Chico Bode
É um homem de pagode.
Foi por fogo no cachimbo
Pegou fogo no bigode.

- Era meia noite
Noite, noite,noite.
Tinha uma caveira
Veira,veira,veira.
Ela era bonita
Nita,nita,nita.


- No varal de uma sereia
Que se chama Mariana
Vejo um vestido de seda
Prateado de escama.

- Uma pulga na balança
Deu um pulo e foi a França.
Os cavalos a correr
As meninas a brincar,
Vamos ver quem vai pegar.

- Santa Luzia passou por aqui
Com seu cavalinho
Comendo capim
Tira esse cisco
Que caiu aqui.

- Cabra cega de onde veio?
Vim do Pandó
Que trouxeste pra mim?
Pão- de- ló
Me dê um pedacinho?
Não dá pra mim
Quanto mais pra tua avó.

- Lé com lé
Tré com tré
Um sapato em cada pé.


- Tá com frio
Toma banho no rio
Tá com calor
Toma banho no regador.



















































































































































































































































































































































































































































domingo, 24 de agosto de 2008

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Matemática: Jogo TRILHA ou MOINHO



Trilha é um dos mais famoso dos jogos da família conhecida como Morris, da qual faz parte também o Jogo da Velha. Tabuleiros do jogo foram encontrados no Egito (datando de 1400 ac), Srilanka (10 dc) e no navio viking Gokstad (900 dc). Durante o século XIV, tabuleiros sofisticados já apresentavam um formato de uma caixa baixa com as tampas presas por dobradiças, da qual um lado era usado como tabuleiro de xadrez, o outro como tabuleiro de trilha e quando aberta o seu interior servia como tabuleiro de gamão.

Cada jogador possui 9 peças de uma cor, preto e branco, por exemplo. As peças são posicionadas alternadamente nos pontos de intercessão das linhas, até que todas tenham sido posicionadas no tabuleiro. Então, cada jogador move na sua vez uma de suas peças ao longo de uma linha, deslocando-a de um ponto (intercessão), até um outro, que esteja vazio. Não é permitido pular peças, portanto só poderá ser feito um movimento se houver um ponto vazio vizinho a uma das peças.


Quando um jogador consegue realizar um moinho, ou seja alinhar três peças (não vale em curva) ele pode retirar do tabuleiro uma peça de seu oponente. Esta peça não volta mais para o jogo. Lembre-se que as peças que estiverem formando um moinho não podem ser retiradas.
Ganha o jogo aquele que conseguir reduzir o número de peças de seu oponente a duas, ou bloquear todas as peças dele de forma que não possam mais se movimentar.
Neste tipo de jogo, o posicionamento inicial é fundamental para o desempenho do jogador durante a fase de movimentação. A tal ponto que uma partida pode ser perdida ou ganha em função deste posicionamento estratégico.



TRILHA: confeccionado com 1 caixa de papelão quadrada, EVA e 18 tampinhas (9 tampinhas de uma cor, preto e branco, por exemplo).

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

CONTO AFRICANO

Contos e Diversidade

A fantasia e a imaginação são elementos fundamentais para que a criança aprenda mais sobre a relação entre as pessoas, sobre o eu e sobre o outro. No faz de conta, as crianças aprendem a agir em função da imagem de uma pessoa, de uma personagem, de um objeto e de uma situação que não estão imediatamente presentes e perceptíveis para ela no momento e que evocam emoções sentimentos e significados vivenciados em outras circunstâncias.
Os contos e as histórias povoam o universo infantil. Principalmente com relação aos contos, sempre se enfatizam aqueles da tradição européia, como Branca de Neve, Chapeuzinho Vermelho, Rapunzel e outros. Não trazemos para cultura escolar e para cultura infantil os contos africanos, indígenas, latino-americanos, orientais. Para educação que respeite a diversidade, é fundamental contemplar a riqueza cultural de outros povos, e nesse sentido vale a pena pesquisar e trabalhar com outras possibilidades.
Outras histórias da nossa literatura, como História da Preta, O Menino Nito, Ana e Ana, Tranças de Bintou, Bruna e a Galinha de Angola permitem o contato com as culturas afro-brasileira e africana, com personagens negras representadas com qualidade e beleza.

Referência Bibliográfica:

-Orientações e Ações para Educação das Relações Étnico-Raciais.



CONTO: YNARI, A MENINA DAS CINCO TRANÇAS




Era uma vez uma menina que tinha cinco tranças lindas e se chamava Ynari. Ela gostava muito de passear perto de sua aldeia, ver o campo, ouvir os passarinhos e sentar-se junto à margem do rio.
Certa tarde, já o Sol se punha, Ynari ouviu um barulho. Não eram os peixes a saltar na água, não era o cágado que às vezes lhe fazia companhia, nem era um passarinho verde.
Do capim alto saiu um homem muito pequenino com um sorriso muito grande. E embora ele não fosse do tamanho dos homens da aldeia de Ynari, ela não se assustou.
O homem muito pequenino andava devagarinho e devagarinho se aproximou. (...)
Estavam assim os dois conversando sobre as palavras, a importância que as palavras tinham na vida de cada um, como as usavam, quando as usavam, com quem as usavam, e que significados tinham para o coração de cada um deles. Ynari tentou explicar-lhe que havia palavras que para ela tinha mais do que um significado ou que lhe provocavam mais do que uma só alegria ou uma só tristeza...

Referência Bibliográfica:

Amâncio, Íris África para crianças: histórias e culturas africanas na educação infantil/ Belo Horizonte: Nandyala, 2007 (Coleção Afrocult, Vol 1).

ETAPAS PARA CONFECÇÃO DA BONECA

(YNARI, A MENINA DAS CINCO TRANÇAS)

MATERIAL:

- 1 Novelo de lã

- 1 Pedaço de papelão

- Papel (para fazer a cabeça da boneca)